Ivete Sangalo não é dona do Carnaval, diz Gilberto Gil

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

"Não acho que a Ivete Sangalo seja a dona do Carnaval. Dona do Carnaval é a economia global. Essa sim é a dona de tudo (risos)." Dessa forma, o músico Gilberto Gil, 70, reagiu à entrevista do presidente do bloco Olodum, João Jorge Rodrigues, 57, publicada na segunda nesta Folha.

Para o líder do Olodum, ao criticar o modelo da festa, "a Bahia virou a terra de uma artista só". "Parece que os outros estão todos mortos."
Gil, porém, acredita que essa situação cabe aos patrocinadores e aos interesses da telecomunicação. "Não é a Ivete. Ela, de certa forma, se subalterna [a isso] como eu, como outros", afirmou.
O ex-ministro da Cultura afirmou que entende "o sentido reivindicatório" das declarações de João Jorge. "Ele está representando as vozes de muitos. É justo."
As queixas de João Jorge sobre a divisão dos recursos do Carnaval e a criação do novo circuito do Afródromo --exclusivo para blocos afros, ideia de Carlinhos Brown, 50, que deve estrear em 2014-- repercutiram muito na Bahia.

A cantora Ivete Sangalo participa do Circuito Osmar (Campo Grande), no início do desfile do bloco Coruja

Gil também acha o Afródromo desnecessário: "Acho que deviam passar dois blocos afros, mas depois um bloco de trio. Não acho que deva ser um espaço reservado, porque os outros circuitos não são."
"A cultura negra está querendo a miscigenação e precisam entender isso nessa cidade", afirmou Brown.
Ele diz "não ter nada a ver" com o modelo da folia baiana.
"Quem tem que resolver o Carnaval que existe é quem o administra, são os gestores do Carnaval. Eu não tenho nada a ver com isso", afirma.
Apesar disso, o músico diz que a festa de Salvador "não tem problema nenhum como se imagina". "Tem alegria e está mostrando como se muda. É que ela não se acomoda", completa, referindo-se ao projeto do "Afródromo".
Brown insiste: "Eu não critico nada, não fui eu que criei esse modelo de Carnaval. Eu criei a Timbalada, músicas bonitas e o 'Afródromo'".
Citada por João Jorge, Ivete Sangalo, 40, que se apresentou ontem em Salvador, não quis comentar o assunto.
Também mencionada, Claudia Leitte, 32, informou por meio de seu porta-voz, Paulo Roberto Sampaio, que não toma atitude com base em "matiz racial". Para Rodrigues, do Olodum, parte do sucesso de Claudia e Ivete se explica por elas serem brancas.
Conhecido como o inventor do "axé music", Luiz Caldas, 50, admite incômodo com o crescimento de outros ritmos na folia, como sertanejo e eletrônico, e pede ao governo proteção semelhante ao que Recife e Olinda promovem contra o axé baiano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário