Os detalhes técnicos das roupas de Ivete no Carnaval

sábado, 9 de fevereiro de 2013




Este Carnaval é o último de Patricia Zuffa como figurinista de Ivete Sangalo, cargo que ela ocupa há 13 anos. “É um momento de mudanças. Temos uma relação ótima, mas trabalhar pra Ivete exige muito e quero me dedicar a outras coisas, como cinema e teatro, estou voltando a estudar… Ela precisa de alguém que atenda só a ela, porque é muito detalhe”, contou Patricia em entrevista pro Blog LP.


Quando diz que o trabalho exige muito, ela fala de pesquisas de referência que começam meses antes, um shape superconstruído, uma estrutura que funciona quase como uma armadurasapatos específicos e muitos, muitos detalhes técnicos! Pra deixar tudo pronto a tempo de Ivete subir no trio pela 1ª vez no Carnaval 2013, neste 9/02, o trabalho começou em outubro. Zuffa divide informações do processo com a gente:
. De onde vem o tema pras roupas: “Começo as pequisas de referência e vou mandando pdfs pra ela aprovar. Como o novo trabalho se chama ‘Real Fantasia‘, a proposta foi brincar com isso e criar fantasias reais, no sentido da realeza, aproveitando o barroco, que eu amo, a arquitetura de palácios, um pouco de Lacroixanos 80/90, muita pedraria, tecidos adamascados…”. Daí surgiram 4 roupas: uma detoureiro, uma Maria Antonieta, uma rainha barroca e um look celestial, todo branco.
. Quem se envolve no processo: “Criei as roupas junto com a Clara Lima, uma stylist que mora em NY. Adoraria fazer parcerias com estilistas, mas é um trabalho muito específico, preciso ter o controle de tudo, então não dá muito pra fazer isso. Neste Carnaval temos acessórios da Skull, são brincos incríveis – que invariavelmente a Ivete vai trocando durante o percurso, porque tudo começa a pesar muito lá em cima do trio. Ela vai tirando os acessórios mesmo!”
. E o sapato? Ela mantém o tempo todo? “Sim! Os sapatos da Ivete são feitos pelaCapezio especialmente pra ela. Como é uma fabricante de sapatos de dança, o salto já é pensado pra ser o mais confortável possível, a sola é especial, o couro… Ela só consegue ficar o tempo todo com essas 4 sandálias específicas.”

. Como deve ser o shape da Ivete: “Ele não muda. Tem que ter perna de fora, cintura marcada, decote… Tem que dar forma ao corpo e a Ivete não gosta, por exemplo, de bumbum de fora. Então sempre coloco hot pants com detalhes pra esconder, como um basque, por exemplo. Ela também não gosta de cavas: alças largas, decote careca. Porque incomoda mesmo.”
. Os detalhes técnicos: “As roupas têm uma estrutura surreal, com barbatanas, entretelas, e tem o desafio de juntar tecidos elásticos nisso, pra dar mobilidade. Forro as roupas com seda ou algodão, porque só os tecidos naturais deixam ela suar. Isso é muito importante pois são horas de percurso, pulando! Se a gente fosse pensar numa roupa ideial pro que ela faz, precisaria usar peças pra academia! Mas precisamos fazer algo funcional que a deixe gata! A barbatana precisa ter um acabamento porque, se escapar do tecido, não pode machucar. O bordado é reforçado e as pedrarias não podem ter garras, se não também machuca, então precisa ser tudo colado ou supercosturado! A lingerie também é técnica, precisa ser firme, e usamos meias. E é sempre importante lembrar que o fone de ouvido precisa ser preso à cintura de uma forma bem firme, pra ela não perder o retorno de som.”
. Mesmo com todos esses cuidados, já deu alguma coisa errada? “Já deu muita coisa errada! Não gosto do resultado do figurino do show do Madison, em NY, por exemplo. Algumas coisas não eram pensadas pra ela, mas não conseguimos controlar tudo. Aí acontece da barbatana errada furar a barriga até sangrar… Sutiã arrebenta e às vezes, na correria, fica até alfinete dentro da roupa!”

Fonte: Lilian Pacce

Equipe do Bem Estação Sangalo

Nenhum comentário:

Postar um comentário