Ivete Sangalo fala sobre biografia e da escolha de Ana Maria Braga para escrever o prefácio

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Com 20 anos de carreira consolidados, a cantora lança neste mês a biografia, "Ivete Sangalo, Pura Paixão", em que conta intimidades da sua vida. Ela bateu um papo com a revista Marie Claire sobre a publicação e disse que não se incomoda com as críticas: "fico bem com elas".


IVETE SANGALO: "O QUE SERIA DE NÓS SEM O AMOR E AS CANÇÕES?  (Foto: Reprodução/Instagram)

Baiana arretada, Ivete Sangalo - Veveta para os mais chegados - é um furacão, bem como ela mesma se descreve na sua biografia, "Ivete Sangalo, Pura Paixão", escrita pelo jornalista Jorge Velloso com depoimentos dados pela cantora, e prevista para ser lançada neste mês. Com um brilho único e energia de sobra, ela conquistou os palcos - e o Brasil. Aos 42 anos - e com 20 de carreira completos - ela divide com o público histórias de como foi seu primeiro contato com a música e de bastidores de quanto era da Banda Eva e de hoje.
Há ainda uma apresentação de Ana Maria Braga, quem cometeu uma gafe ao vivo com a cantora logo no início da sua carreira, a chamando de "Janete Sangalo". Aqui, você confere com exclusividade o primeiro capítulo do livro da estrela e a entrevista que ela concedeu à revista Marie Claire. Acompanhe:
Marie Claire: Como você sentiu quando soube que teria uma biografia em que poderia dividir vitórias, dificuldades e intimidades com o público? Já pensava em algum dia ter um livro?
Ivete Sangalo: Sempre gostei de biografias, pois as curiosidades dos meus ídolos reveladas em um livro era algo que me atraía. Fico honrada de ter já uma história a ser contada e da forma como consegui escrevê-la.


MC:  “Ivete Sangalo, Pura Paixão” é um nome que combina com você, uma pessoa sempre intensa e com muita energia nos palcos, um verdadeiro “furacão”, como você diz no livro. Você também é assim no seu dia a dia?
IS: Cada vez me sinto mais calma, menos agitada. O palco é sem dúvida transformador. Ele me deixa em êxtase e ali eu consigo triplicar a minha energia gerando a performance invejável. Sou positiva demais! Acho que há solução em muitas coisas. Gosto também de cuidar da minha família e de mim.
MC: A Ana Maria Braga fez a apresentação do livro. Você a escolheu? Se sim, por quê?
IS: Ela é positiva e tem muito brilho naquele coração. Achei bom ter essa energia perto de algo que eu tenho tanto cuidado.
MC: Suas letras também são intensas e apaixonantes. Acredita que as pessoas são movidas pelo amor?
IS: Completamente! O que seria de nós sem amor e sem as canções?
MC: No livro, você fala bastante da sua infância feliz em Juazeiro, na Bahia. Você tenta criar seu filho da mesma forma que você foi educada pelo seus pais?
IS: Tento! Adoraria que fosse da mesma maneira como foi a minha, cheia de traquinagens, cheia de brincadeiras e liberdade. Sou companheira de traquinagem e tento dar a ele mais liberdade quando o assunto é brincar e se divertir.
"O palco é sem dúvida transformador. Ele me deixa em êxtase e ali eu consigo triplicar a minha energia" (Foto: Reprodução/Instagram)
MC: Você diz que cresceu em meio a música e seus pais a incentivavam muito, e conta que também estimula seu filho. Gostaria que ele seguisse carreira musical?
IS: Gostaria que ele seguisse o que o fizesse feliz. Fui educada assim! Acho que ele vai trilhar caminhos de muito sucesso naquilo que se propuser a fazer. A gente dá o amor e instrução, e ele vai saber cuidar do resto.
MC: Você tem cinco irmãos e cresceu numa família grande. Pretende ter mais filhos? Tem vontade de ter uma menina?
IS: Tenho sim e quero mais!
MC: Recentemente estive em Salvador e vi como as pessoas tem um carinho enorme por você. Essa seria a parte positiva da fama?
IS: Eu poderia enumerar milhões de partes positivas. Tenho sorte! As pessoas me abordam com tanto amor e respeito que me sinto especial.
MC: Por ser famosa, já passou por alguma situação que se sentiu incomodada ou teve sua privacidade invadida? Se sim, qual?
IS: Não exatamente. Penso na invasão que às vezes sofremos por conta da popularidade.  Mas nada disso tem a ver com o público e sim interesses outros. Eu vivo na tranquilidade sem maiores problemas, mas tenho amigos famosos que sofrem com isso.
MC: Você lida bem com as críticas ou fica chateada com algumas?
IS: Fico bem com elas!
MC: Você já teve oportunidade de fazer apresentações em momentos importantes da história, como no encerramento da Copa do Mundo deste ano. Tem algum show que foi marcante para você? Se sim, qual e por quê? 
IS: Cantei com Djavan esse ano e foi uma grande emoção. Ano passado com Steve Wonder. Já cantei em muitos lugares que me deixaram lembranças importantes. O meu ultimo DVD foi uma data incrível onde me joguei na emoção e o resultado ficou especial.
MC: Você é inspiração para muitas pessoas. E você tem algum ídolo, alguém que sempre foi uma referencia para você?
IS: Tenho muitos! Steve Wonder é uma voz e um compositor que eu amo. Tem Gil, Caetano, Bethania, Gal, Elis... Tanta gente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário