Relato: Ivete Sangalo no show que homenageou Gonzaguinha em Brasília

domingo, 10 de julho de 2016

No último dia 7, Ivete Sangalo participou em Brasília da turnê organizada pelo Prêmio da Música Brasileira, que este ano homenageia Gonzaguinha. A integrante de Brasília da nossa Equipe do Bem, Loyane Alves, esteve presente no show e contou em forma de relato a experiência de ter assistido ao concerto. Confira o texto e abaixo, uma galeria com as fotos que saíram na mídia:


"Dia 7 de julho de 2016. Ivete sobe ao palco do centro de convenções Ulisses Guimarães às 21h15. O público vai à loucura. Com um vestido preto contornando suas belas curvas, ela canta emocionada as obras deixadas por Gonzaguinha. Após quatro músicas e fazer suas brincadeiras - ela não perde uma piada: "Estou toda contraída nesse vestido aqui minha gente, não tá fácil", ao som das risadas da platéia - ela emenda com uma versão emocionante de "Grito de alerta". No meio da canção, sobe ao palco Zeca Baleiro para entoarem juntos a obra do mestre, filho do grande Gonzagão.



Em seguida, Zeca canta mais quatro músicas sozinho. Apesar de vez ou outra dar uma conferida no Tele Prompter, onde as letras das canções eram exibidas, consegue com sua voz encantar. Enfim entoa sua quinta música junto de Maria Gadú, que é muito aplaudia. Uma grande presença de palco dominava as inspiradoras canções, quando entra Lenine, que faz um dueto com a moça da voz suave e canta suas quatro músicas finalizando com "Sangrando", já também gravada por Ivete. 

Lenine chama então de volta ao palco uma moça que diz ser amigo de anos e que não falaria quantos para não entregar a idade dela. Do fundo ouvimos "Eu era criança" com voz infantil. Ele então anuncia Ivete, que volta ao palco para cantar "Vida de Viajante". E em seguida, entram os outros dois e todos recheiam o palco cantando "O que é, o que é". Ivete é um destaque! Posso ser suspeita para falar, mas sua voz arrebata a todos, é forte e sua presença assume a frente daquele lugar que parece ser seu lar. Mas com uma generosidade tamanha, deixando ou anunciando os outros para cantarem, abraça Maria Gadú e juntas dançam enquanto Zeca e Lenine cantam. Ao final, os quatro se abraçam e se despedem do público, que vai ao delírio. A essa altura, todos estavam aplaudindo o espetáculo de pé, e muitas pessoas que estavam mais ao fundo do teatro foram para as laterais para ficar mais próximo daqueles que estavam eternizando Gonzaguinha. 

Saíram todos, inclusive a banda. A plateia entoa o coro de "mais um" e repetidas vezes gritam juntos a frase. A banda volta, e junto com ela, os cantores. Para fechar com chave de ouro, a saudação à Gonzaguinha. Viva a música brasileira, viva os cantores que a eternizam e fazem nosso Brasil mais colorido, musical e culturalmente tão rico."


Nenhum comentário:

Postar um comentário